sábado, 15 de novembro de 2008

INSENSATO

Quero a palavra nua e crua
Como a chuva que percorre o meu rosto.
Quero a insanidade dos loucos,
Só não quero este amor que me leva a loucura.
Quero até voar como os anjos
E sentir a inocência de te olhar nas asas do ar e não me afundar no seu mar de amor.
É este meu querer que é só por não te querer...
Que me corroe, que me consome na madrugada,
Que me sustenta no mundo vulnerável dos amantes de ilusões.
Este amor que rejeito, que aperta o meu peito e que me faz cair em suas mãos e envolver- me em teu corpo.
O que sou ? Por não te querer...
Encontro no seu olhar a paixão que rejeita o meu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário